MENU
dossiê promocional
especial PME Inovadoras | casos de sucesso

Grab&Go planeia internacionalização

Vivaldo Caseiro, CEO da nSOL

A Grab&Go desenvolve a sua atividade no mercado de lojas de venda automática, suportada no desenvolvimento de uma rede de franchising. Atualmente possui mais de 200 lojas no continente e ilhas





A Grab&Go, cujo franqueador é a nSOL, L.da, tem registado um rápido crescimento, baseado na capacidade de retorno de cada unidade para o franchisado, tendo por base uma pequena estrutura de custos fixos, conjugada com um horário de venda alargado e com uma oferta de produtos de elevada qualidade. O sucesso tem-se verificado junto de um público muito heterogéneo, desde os mais jovens, com as comidas quentes (como sejam os hambúrgueres e as pizas), até um público mais sénior (consumidor, por exemplo, de cappuccino de baunilha).

Uma das várias vantagens da Grab&Go relativamente ao comércio usual é a ausência de recursos humanos, reduzindo deste modo a estrutura de custos, conjugada com clientes cada vez mais exigentes em serviços e qualidade dos mesmos, trazendo desafios importantes que têm que ser ultrapassados. É neste ambiente que a melhoria apenas é conseguida com recurso a avanços tecnológicos de duplo foco: o franchisado e o cliente final.

A importância da tecnologia

A componente tecnológica presente no conceito Grab&Go é elevada, suportando todos os automatismos inerentes ao vending. Além disso, há a preocupação da empresa em manter-se à frente na inovação e no desenvolvimento de soluções que possam tornar a gestão da loja mais fácil e, assim, melhorar a capacidade de cada franchisado de aumentar a sua rentabilidade. Mesmo o tempo de pandemia, em que foi compelida a encerrar, serviu para que fossem acelerados alguns projetos e ideias que até então ainda não tinham tido os desenvolvimentos de que necessitavam.

Foi estudado e testado, e está presentemente em fase de implementação, um sistema de telemetria, que permite ao franchisado ter um controlo de vendas ao momento, seja através de uma aplicação web, seja através da aplicação móvel. Esta ferramenta permite um controlo imediato da sua oferta e das suas vendas. Para o franchisado que possua uma rede de lojas próprias representa uma melhoria na capacidade de gestão da sua rede pela otimização dos recursos, por exemplo em tempos despendidos e controlo de stocks. A perspetiva é de que no futuro haja uma cada vez maior necessidade de integrar um sistema IoT, com capacidade de integração vertical, seja ao nível de controlo de gestão, seja da ligação direta entre franqueador e franqueado, nomeadamente ao nível das necessidades de assistência técnica.

Nesta ótica, está implementada desde já uma plataforma de gestão de assistência técnica que permite ao franchisado, através da aplicação móvel, reportar qualquer necessidade de assistência 24 horas por dia e que tem a possibilidade de suportar o pedido com outros meios, nomeadamente fotográficos ou de vídeo. Este avanço veio incrementar a capacidade e velocidade de resposta ao franchisado, uma melhor distribuição de recursos e, por aí, uma melhoria ao nível de racionalização de custos e de satisfação do franchisado.

Futuro de inovação

Numa perspetiva de futuro, as evoluções que a Grab&Go pretende implementar irão passar pela integração de terminais TPA, permitindo o pagamento através de cartões bancários, como também a leitura de cartões de identidade (possibilitando assim o desbloqueio de alguns produtos sujeitos a controlo de menores), assim como uma nova máquina de bebidas quentes, inovadora no seu serviço. Já este ano, a empresa vai fornecer, em exclusivo, máquinas Jofemar para operadores de vending. Todas estas evoluções tecnológicas contribuem para a Grab&Go estar na liderança do mercado de lojas de vending, asseguram os seus responsáveis, “uma liderança consolidada numa rota de crescimento sustentado e que permite apontar com segurança para chegarmos às 250 lojas até ao final deste ano e expandirmo-nos internacionalmente, com previsão de abertura das primeiras lojas Grab&Go em França e na Bélgica”.